Notícia

7 dicas de vencedoras do Programa Para Mulheres na Ciência para quem quer se inscrever no prêmio L’Oréal-Unesco

13.04.2020

As inscrições para a 15ª edição do Programa Para Mulheres na Ciência estão abertas até o dia 08 de maio! Já pensou que essa pode ser a sua chance de mostrar a importância do seu projeto e conseguir o incentivo que faltava para levá-lo adiante? Se precisar de um empurrão extra, a gente pode te ajudar: pedimos a 7 vencedoras das outras edições do prêmio nacional e internacional que reunissem as melhores dicas para jovens cientistas que querem apostar no prêmio! Quer ver o que elas disseram? Confira abaixo os conselhos das pesquisadoras Marcia Barbosa, Pamela Carpes, Sabrina Lisboa, Patrícia Muniz, Ethel Wilhelm, Jaqueline Mesquita e Marina Trevisan!

 

Dica 1: destaque as descobertas científicas sem timidez

 

“Jovens cientistas, em primeiro lugar, lembrem-se que vocês são pesquisadoras incríveis e deixem isso transparecer no preenchimento. Salientem qual foi a descoberta, compreensão científica ou desenvolvimento que realizaram em suas carreiras. Sem timidez. Queremos conhecer vocês”, Marcia Barbosa, física laureada internacionalmente em 2015.

 

Dica 2: não deixe de se inscrever por insegurança ou medo

 

“Minha dica é muito simples: Se você é uma jovem cientista encantada com o mundo da ciência, não deixe de aplicar ao programa PMNC! Muitas vezes a gente fica se questionando se nossa pesquisa é assim tão legal, fica imaginando que tem muitas cientistas que desenvolvem trabalhos mais significativos… e acabamos deixando de tentar. Sim, é verdade que temos muitas mulheres cientistas fazendo trabalhos lindos Brasil afora, mas o seu também é! Encorajo você a aplicar! Mesmo que em anos anteriores já tenha aplicado e não tenha sido contemplada, tente de novo. Muitas das ganhadoras, como eu, por exemplo, não foram vencedoras na primeira tentativa, e isso só mostra quantas coisas boas nós, mulheres, fazemos na ciência”, Pamela Carpes, neurocientista vencedora da edição de 2017.

 

Dica 3: deixe claro o que te move a fazer a sua pesquisa

 

“Nunca antes vimos a ciência em tão pouco tempo ser tão requisitada e valorizada. Várias cientistas, no Brasil e no mundo, têm se destacado na busca por respostas neste tempo difícil que estamos atravessando. Precisamos reforçar a importância das mulheres e aumentar a representatividade feminina nas mais diversas áreas da ciência. É importante destacar a relevância do seu projeto: quais os principais aspectos, por que precisam ser investigados, qual o impacto disso para a ciência e possíveis impactos para a população? Transmita o que te move a fazer a sua pesquisa e contribuir com o avanço e disseminação do conhecimento científico. Acredite, o mundo precisa mais do que nunca de ciência e a ciência precisa de nós, mulheres!”, Sabrina Lisboa, biomédica vencedora da edição 2018.

 

Dica 4: confie no potencial do seu projeto

 

“Algumas dicas que dou para as cientistas que pensam em se inscrever são as seguintes:
1) Mostrem claramente qual a importância dos seus projetos de pesquisa para a sociedade. Quais benefícios teóricos e práticos eles podem trazer?;
2) Passem para o papel todo o entusiasmo que vocês têm nos seus projetos;
3) Não esqueçam de conferir todo o texto para não deixar nenhum fio solto (por exemplo, método para coisas não previstas nas perguntas, hipóteses sem respaldo teórico etc.).
Mas a principal dica é: confie na sua pesquisa e no seu potencial. Muitas não tentam por achar que não teriam chances. Eu também deixei de tentar por pensar assim. Por isso acho que o otimismo e a dedicação fazem toda a diferença”, Patrícia Muniz, etnobotânica vencedora da edição 2019.

 

Dica 5: expresse claramente a importância da sua pesquisa

 

“Minha melhor dica é para que as candidatas reflitam sobre a importância da sua pesquisa para a sociedade. É importante deixar claro no projeto a relevância do estudo e como os resultados obtidos através dele contribuirão para um mundo melhor. Atualmente a ciência brasileira está desacreditada e precisamos expressar de maneira mais clara a aplicabilidade de nossos estudos. Além disso, se você não foi contemplada nos editais anteriores, não desista! O seu momento pode ser agora”, Ethel Wilhelm, bioquímica vencedora da edição 2018.

 

Dica 6: use linguagem acessível ao escrever sobre o tema

 

“Uma sugestão que eu daria para quem vai se inscrever é deixar claro na proposta o quanto a sua pesquisa é interessante em uma linguagem acessível mesmo para pessoas que não são da área. E ter confiança em si mesma, sempre!”, Marina Trevisan, astrofísica vencedora da edição 2019.

 

Dica 7: revise tudo que for enviado e fique atenta aos prazos

 

“Confie no seu potencial! Faça sua inscrição no prêmio, fique atenta aos prazos e dedique-se bastante à elaboração do projeto. Não se esqueça de revisar todos documentos e informações que serão enviadas”, Jaqueline Mesquita, matemática vencedora da edição 2019.

 

E aí, ficou inspirada? Então não perca tempo e se inscreva no programa!